Nova marca de joias mineiras aposta no fazer artesanal

As peças de Elisa são resultado da soma do traço arquitetônico com a paixão pela marcenaria, o valor das técnicas artesanais, a pureza das pedras e a conexão com o natural e orgânico. Por trás das criações está Elisa Cordeiro, arquiteta mineira que agora também se aventura do mundo das joias.

“Há 5 anos, num desejo totalmente despretensioso, desenhei e prototipei algumas joias” conta ela. “Em 2020, período da pandemia, ganhei de uma amiga um livro de Gemas. Fiquei completamente obcecada! Coincidentemente neste mesmo período, em meio a arrumação do escritório de casa encontrei os cadernos antigos com os desenhos, anotações de todos os modelos de brincos, anéis, broches… Resolvi retomar essa produção e nasceu Elisa” completa.

Fotos: Studio Tertulia

A primeira coleção se chama Tempo. São peças que apresentam como principal liga a prata com o acabamento natural, sem polimento. A prata faz a conexão entre a pedra – pirita, ametista, água marinha, quartzo rosa, greengold e citrino – com a madeira – jacarandá (demolição) e cedro. As peças nascem a partir de uma geometria pura e que naturalmente são desconstruídas formando um elemento orgânico e com movimento. “Crio de maneira intuitiva. A partir do traço nasce a função e não o contrário. A joia é a representação livre e que traz uma grande trajetória em poucos rabiscos” diz Elisa.

Elisa é sofisticado e atemporal.

Rolar para cima